sábado, 17 de janeiro de 2015

On sábado, janeiro 17, 2015 by j%nx. siisis X INFORTECmdc in    Sem comentários


Nesta seleção estão as 10 maiores potências em armas nucleares do mundo. A informação sobre quem possui, o que, em relação às armas nucleares é estimado pela Federação Americana de Cientistas, pelo estudo World Factbook da CIA e pela organização Nuclear Threat Initiative.
Mais de duas dezenas de países apresentam potência nuclear, e tem como principal função gerar energia elétrica para a sua nação, porém apenas alguns têm armas nucleares confirmadas ou são suspeitos de buscar armas nucleares. Confira:



10°
Irã




Na última década, houve uma preocupação mundial em relação ao programa nuclear do Irã. Em novembro de 2011, International Atomic Energy Agency divulgou um relatório dizendo que há sérias preocupações e informações credíveis que o Irã pode estar desenvolvendo armas nucleares.
O Irã afirma que está enriquecendo urânio para somente fins energéticos civis, mas o IAEA diz que o país não tem cooperado suficiente para a agência verificar se a intenção é apenas para fins pacíficos.
O país tem desenvolvido mísseis balísticos desde a década de 1980, e possui o maior número de mísseis implantados no Oriente Médio, de acordo com um relatório de dezembro de 2012 pelo U.S. Congressional Research Service.




Israel




Israel se recusa a confirmar ou negar a crença generalizada que possua a bomba, mas acredita-se que tenha cerca de 80 armas atômicas, e plutônio suficiente para produzir 200, de acordo com Federation of American Scientists.
O ex-primeiro-ministro Shimon Peres, em uma entrevista de televisão de 1998, disse que Israel iniciou a desenvolvimento de uma opção nuclear na década de 1950 para prevenir guerra.
São estimadas 80 ogivas, no total. As capacidades nucleares de Israel não foram confirmadas, porém a Federation of American Scientists estima que o país tenha cerca de 80 ogivas em seu arsenal.



Coréia do Norte



A Coréia do Norte realizou 3 testes nucleares subterrâneos. E também realizou testes com mísseis balísticos. Mas não é estimado que tenham as 2 tecnologias juntas ainda. Ao todo, os especialistas dizem que o país já separou plutônio suficiente para cerca de 10 ogivas. No entanto, não desenvolveu uma forma de armá-los.
O U.N. Security Council aprovou novas sanções contra a Coréia do Norte depois de cada teste nuclear. Em relação à estimativa de ogivas, são menos de 10 totais. Seu ultimo teste foi realizado em 2013.




Paquistão




Em 1972, após sua terceira guerra com a Índia, o Paquistão secretamente decidiu iniciar um programa nuclear para corresponder à capacidade de desenvolvimento da Índia.
O Paquistão respondeu aos testes nucleares da Índia em 1998 por anunciar que explodiu 6 dispositivos subterrâneos na região de Chagai, próxima da fronteira iraniana. O país possui a capacidade de atirar cargas nucleares através de aviões e mísseis. São estimadas 90-110 totais ogivas.




Índia




A Índia decidiu construir suas próprias armas nucleares depois que a China começou os testes nucleares em meados dos anos 1960. A Índia testou seu primeiro dispositivo nuclear em 1974. E 3 testes foram realizados em maio de 1998, e 2 dias depois por mais 2 testes.
O país possui aviões e mísseis baseados em terra capazes de transportar cargas nucleares, e está buscando adicionar meios navais para seu programa nuclear. São 80-100 totais ogivas estimadas.




China




A busca de armas nucleares da China iniciou na década de 1950 depois que os Estados Unidos mudaram ativos nucleares para o Pacífico durante a Guerra da Coréia. Depois de testar com sucesso seu primeiro dispositivo nuclear em 1964, a China realizou seu primeiro teste termonuclear apenas 32 meses depois.
A China continua a adicionar ao seu arsenal, de acordo com Federation of American Scientists. São 240 ogivas estimadas no total. E das 240 ogivas estimadas da China, cerca de 180 podem ser transportadas através de aeronaves ou mísseis baseados em terra.




Reino Unido




Quando os Estados Unidos iniciaram o Manhattan Project, um grupo de cientistas conhecido como British mission chegou para ajudar. Mas quando os Estados Unidos aprovaram uma lei em 1946 tornando ilegal compartilhar informações com outros países, o Reino Unido iniciou seu próprio programa nuclear.
São totais 225 ogivas estimadas, menos de 160 operacionais. E todas são atribuídas aos submarinos nucleares, o único mecanismo de lançamento do país. Em 1998, retirou todas as armas nucleares lançadas por avião; e há 65 em armazenamento, reserva.




França




A França possui o terceiro maior arsenal nuclear do mundo. Depois de uma análise de defesa ordenada pelo ex-presidente Jacques Chirac, a França desmantelou suas armas nucleares terrestres em 1996 e reduziu seu número total de mecanismos de lançamentos em 50%.
São totais 300 ogivas estimadas, e 290 operacionais. Destas, cerca de 240 são armas atribuídas aos submarinos nucleares, enquanto as outras 50 estão prontas para ser implantadas em aeronaves. E 10 estão em manutenção ou aguardando desmantelamento.




Rússia




Os espiões provavelmente forneceram informação para cientistas na ex-União Soviética, cortando meses e talvez anos do desenvolvimento de armas nucleares dos soviéticos. Quando os soviéticos testaram seu primeiro artefato nuclear em 1949, eles usaram quase o mesmo design que os Estados Unidos. Eles tinham testado 4 anos antes da detonação sobre Nagasaki, Japão.
Nos últimos anos, a Rússia e os Estados Unidos têm trabalho em conjunto para reduzir seus vastos arsenais, que são facilmente os dois maiores do mundo. Ambos os países têm a capacidade para lançar armas nucleares via terra, ar, e mar. São estimadas 8.420 totais ogivas, e são 1.720 operacionais.




Estados Unidos




Os Estados Unidos realizaram mais testes nucleares que o resto do mundo juntos e é o único país a ter usado uma arma nuclear em combate. Este país ocupa posição líder na seleção das 10 maiores potências em armas nucleares.
Os Estados Unidos são também a única potência nuclear com armas implantadas em outros países, através do programa de partilha nuclear de NATO, há bombas americanas na Bélgica, Alemanha, Itália, Holanda e Turquia. São totais 7.650 ogivas estimadas, e 2.150 operacionais.






Fonte: top10mais

5 de novembro de 2014

0 comentários:

Postar um comentário